Uma viagem pelo universo cervejeiro

por

Cerveja pra mim sempre foi para ser tomada na praia, em festas ou em um gostoso bate-papo com amigos. Dificilmente, eu associava essa bebida como acompanhamento ideal para um almoço ou jantar. Para isso existem os vinhos, certo? Errado! Digo isso, porque recentemente recebi o convite para participar de um curso de iniciação a cervejas especiais, ministrado pelo beer sommelier João Filho, promovido pela loja D’Vinos, que fica em Fortaleza, cidade onde vivo.

Mas o que isso tem a ver com viagens? Você deve estar se questionando. Afinal, o Blog Andarilho tem ou não tem essa temática? Tem sim, mas ele também fala sobre estilo de vida e as experiências que podemos ter em um destino. E como cerveja é uma bebida global, produzida e consumida nos quatro cantos do mundo – existindo, inclusive, aqueles que embarcam em tours em busca dos melhores rótulos -, eu quis dividir essa experiência e aprendizado com você.

Cerveja não é só uma bebida para refrescar. Ela também pode surpreender e desafiar nossos sentidos com tantas propostas

Sem sair do lugar onde vivo, foi como ter viajado – ou melhor: sentido o gostinho -, por meio de aromas e sabores de países como Alemanha, Bélgica, Brasil e Inglaterra.

A experiência também me surpreendeu pela possibilidade de harmonizar a cerveja com entradas, pratos principais e até sobremesas.

Harmonizando a cerveja

Neste curso, em particular, degustamos os rótulos Paulaner Naturtub (cerveja alemã), Beer Maniacs IPA (brasileira), Maredsous Triple 10 (belga) e Young’s Double Chocolate (inglesa).

Essas cervejas, nessa ordem, foram harmonizadas com porções degustação de alguns pratos do novo menu fixo do wine bar da D’Vinos, desenvolvido pelos chefs Élcio Nagano e Mário Castro.

A Paulaner Naturtub foi servida com Bruschetta de cogumelos. Como uma cerveja leve, refrescante e frutada, ela pode ser perfeitamente harmonizada com receitas igualmente leves e salgadas. O resultado surpreendeu: perfeito!

 

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

A cerveja alemã Paulaner Naturtub Fotos: Anchieta Dantas Jr.

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

A Paulaner Naturtub harmonizou muito bem com uma Bruschetta de cogumelos

Em seguida, foi a vez da Beer Maniacs IPA. Esta já tem sabor mais amargo, cítrico e aroma herbal, o que caiu como uma luva com o Emincé Mignon ao molho gorgonzola.

Segundo João Filho, as cervejas IPAs tendem a harmonizar muito bem com pratos gordurosos, pois o amargor natural dessa família de cervejas limpa os resíduos de gordura que ficam na boca. Conforme disse, é o que se pode chamar de harmonização por corte.

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

A Beer Maniacs IPA acompanhou um Emincé Mignon ao molho gorgonzola

Mas esta cerveja também pode ser harmonizada com outros pratos por contraste e proximidade. Um exemplo disso é se ela for servida com uma torta de limão, que é cítrica. Super curioso, né?

Já o prato seguinte, uma Lasanha 4 Formaggio, foi degustado com a cerveja Maredsous Triple 10. Esta é uma cerveja forte, frutada e bastante alcoólica, o que combina com pratos salgados, gordurosos ou a base de frutos do mar, como uma boa paella espanhola. Isto porque o sabor desta bebida contrasta com o sal.

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

A Lasanha 4 Formaggio combin ou muito bem com a cerveja Maredsous Triple 10

Pra finalizar, é claro, veio a sobremesa: um apetitoso Petit Gateau, o qual nos deliciamos tomando uma Young’s Double Chocolate, que é do tipo Stout, uma cerveja mais escura, que leva malte torrado, o que a deixa adocicada, ideal para sobremesas a base de chocolate e frutas vermelhas.

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

A Young’s Double Chocolate finalizou a degustação sendo servida com um Petit Gateau

E a Young’s Double Chocolate, em especial, ainda leva chocolate da tradicional marca inglesa de chocolates Cadbury’s. Precisa dizer se estava bom? Acho que não, né?

O universo cervejeiro

Como dá pra ver, cerveja não é só uma bebida para refrescar, como estamos acostumados. Ela também pode surpreender e desafiar nossos sentidos com tantas propostas.

Para isso, conhecer seus componentes, o papel de cada um deles no resultado final da bebida (cor, espuma, aroma, teor alcoólico e corpo) se torna fundamental. E foi isso o que aprendemos antes de partirmos para as harmonizações.

Interessante ainda foi saber que também existem técnicas de degustação de cerveja. Assim como se faz com o vinho, ao colocar a bebida na taça, começa-se com uma avaliação olfativa (aromas), seguida da visual (cor) e, por fim, gustativa (sabor).

D'Vinos Curso de iniciação a cervejas especiais

Beer sommelier João Filho explicando os componentes da cerveja Foto: Anchieta Dantas Jr.

Eu não sei você, mas sempre que eu viajo, experimento as cervejas produzidas nas regiões e países pelos quais vou passando e certamente, agora, depois do que aprendi sobre o curioso e saboroso universo cervejeiro, minhas experiências com essa bebida mundo afora ficarão ainda mais ricas.

Portanto, embarcar em um curso como esse é super válido se você, assim como eu, gosta de cerveja e de viajar.

Dica!

Pelo que fiquei sabendo mais um curso na D’Vinos acontecerá no dia 3 de maio próximo. Desta vez, o beer sommelier João Filho brindará os participantes com uma introdução à escola de cerveja belga. E promete, viu?

Digo isso porque já estive na Bélgica e vi e provei, in loco, a variedade de rótulos que eles produzem: são mais de 630 tipos! Mais informações pelo telefone (85) 3055-7272.

 

E aí, gostou desse post? Então, compartilhe nas redes sociais para que mais pessoas embarquem no curioso e delicioso universo cervejeiro. Os botões de compartilhamento estão no início e no fim do texto.

E para acompanhar tudo que acontece no Blog Andarilho siga a gente no Facebook, no Instagram e no Twitter e também não deixe de se cadastrar para receber a nossa Newsletter.

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *