Peru: como planejar sua viagem a Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu

por

É impressionante como Machu Picchu chega a ser mais famoso do que seu próprio país. Aliás, configura-se com um dos maiores destinos turísticos, se não for o maior, da América do Sul. Tanto que as pessoas quando planejam uma viagem ao Peru, praticamente ignoram Lima (o que é uma pena), dedicam pouco tempo a Cusco (outro erro), voltam toda a sua atenção para Machu Picchu e não se dão conta de que tem muito para ver naquela região.

Resultado? Quando chegam lá, esses viajantes descobrem que Cusco em si vale muito à pena; que existe o Vale Sagrado, com diversos outros sítios arqueológicos interessantes; Moray, outrora laboratório agrícola dos Incas, cujo visual é incrível; e as curiosas minas de sal de Maras.

E, para completar, a mais nova sensação turística do pedaço, o Cerro de los Siete Colores, Rainbow Mountain ou simplesmente a Montanha do Arco-Íris, que há pouco mais de um ano se tornou, além de Machu Picchu, outro “must to do” de quem vai a Cusco.

Quantos dias ficar em Cusco

Dessa forma, organize seu tempo para que possa dedicar ao menos uma semana para contemplar tudo isso e não voltar com a sensação de ter esquecido de fazer algo.

Não, não é muito tempo como talvez você esteja pensando. Eu fiquei sete dias circulando por esses locais e foi a conta justa.

Além disso, você vai precisar de tempo para se acostumar com a altitude e o clima de Cusco. São 3.400 metros acima do nível do mar.

Então, sofrer do mal de altitude não é uma possibilidade, é uma certeza! E eu acho que você não vai querer perder o melhor da festa por não estar se sentindo bem, não é?

O choque é incrivelmente forte. A gente se cansa por pouco, o que faz com que tenhamos de nos movimentar lentamente. Então, nada de muitas atividades em único dia. Você não vai suportar.

Tudo deve ser feito com calma, para poder ser bem aproveitado. Assim a recomendação é um passeio por dia, demandando, dessa forma, uma estada menos corrida em Cusco.

E como você já deve escutado de quem já foi, não há outro remédio para o mal de altitude a não ser o chá de coca e água, muita água, para oxigenar o corpo.

Tanto que todos os hotéis, hostels ou qualquer outro meio de hospedagem, assim como os restaurantes, oferecem gratuitamente a bebida para quem chega.

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

O chá de coca é o melhor remédio para o mal de altitude Fotos: Anchieta Dantas Jr./Blog Andarilho

No meu caso, foram necessárias quase 48 horas para me acostumar com a altitude. Nesse processo, eu consumia no mínimo quatro xícaras de chá de coca por dia, quando eu também não chupava balinhas ou mascava as folhas de coca para que conseguisse me sentir bem.

E mesmo depois de aclimatado, você deve não deixava de tomar. Além de garantir seu bem-estar, não é que o sabor é bom!

Outra coisa: não se preocupe em ficar viciado. Afinal a folha de coca nada tem a ver com o que você está pensando (risos!)

Assim, nesse post, eu explico como eu montei meu roteiro por Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu, com dicas práticas para tornar a sua viagem a melhor possível, porque sei que é o sonho de muita gente, como foi o meu e pode ser o seu.

Um pouco de história

Nesse aspecto, eu não vou me alongar. O que eu disser sobre a história de Cusco e Machu Picchu não vai ser diferente do que já está escrito por aí, inclusive em outros blogs, e que você já deve ter lido. Então, eu não vou repetir o que todo mundo já disse.

No entanto, para valorizar o destino e deixar bem claro por quê você deve conhecer a região, tenha em mente de Cusco é o símbolo do apogeu do império inca e da miscigenação da cultura espanhola à andina, facilmente perceptível em um passeio pela cidade.

E essa mescla só poderia resultar em muitos atrativos: vários sítios arqueológicos, obras magníficas e arquitetura colonial da melhor qualidade. Ou seja, uma viagem para registrar em fotos e ainda ficar memória.

Portanto, nada de ter a antiga capital do império inca apenas como ponte para conhecer Machu Picchu. Cusco tem um astral tão “cool” e um centro histórico tão charmoso que chega a ser um desperdício conhecê-la apenas de passagem.

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

Admirando a belíssima arquitetura colonial de Cusco

E a sua localização estratégica junto com a boa infraestrutura turística permitem ao viajante visitar não só a Cusco e Machu Picchu, mas todo o Vale Sagrado, Maras, Moray e a Montanha do Arco-íris, desfrutando de boas acomodações e restaurantes, por incrível que pareça, acessíveis a todos os bolsos.

O Peru é caro?

Muita gente fala que o Peru é caro, mas isto não é verdade. O que encarece para nós, brasileiros, são as passagens aéreas (nada que não possa ser contornado se você ficar de olho nas promoções ou usar milhas).

Temos também o deslocamento de trem até Machu Picchu (a melhor forma de chegar) e o ingresso para a atração, que não são baratos.

Por outro lado, a compensação fica por conta da hospedagem, comida e passeios. Comer, beber e se hospedar, no Peru, assim como os demais passeios, sai mais barato do que você imagina.

A hospedagem em Lima, no Puriwasi Hostels no coração de Miraflores, me custou US$ 12,50 (cerca de R$ 42) a noite; em Cusco, no Mama Simona Hostel em pleno Centro Histórico, saiu US$ 17,50 (aproximadamente R$ 59) a noite; e em Águas Calientes, onde pernoitei para visitar Machu Picchu no dia seguinte, US$ 19 (em torno de R$ 65) a noite no Mama Simona Machu Picchu.

Já as refeições sempre ficaram entre 10 soles (R$ 11) e 40 soles (R$ 45), fosse almoço ou jantar, incluindo bebidas.

Claro que você pode vir a pagar mais, no entanto isso vai depender do local e nível de exigência. Mas consegue-se comer muito bem no Peru por esses valores.

Cusco: viagem de descobertas

Depois de ver tudo e se maravilhar com tantos feitos arquitetônicos de cair o queixo, sejam eles incas ou espanhóis, você vai se questionar, como eu também me questionei, como tudo aquilo foi possível, em uma época em que não existiam os meios de transportes e a tecnologia que temos hoje.

Para mim foi uma viagem de muitas descobertas, em meio a qual eu me senti pequeno e consciente de que ainda tenho muito a evoluir como pessoa, diante do conhecimento dos incas e do seu legado, e tudo isso sem ter acesso a tanta informação como temos na atualidade.

Some ainda a esses feitos o respeito que eles tinham pela natureza e pela vida. Um aprendizado e tanto e que justificará seu tempo por lá.

E tem  mais: tudo o que você vier a visitar por Cusco e o Vale Sagrado antes de pôr os pés em Machu Picchu tem uma conexão, só assim você vai entender o que representou a cidade perdida dos Incas para eles.

Vá por mim! Ver e entender a interligação existente entre a cidade, os demais sítios arqueológicos e Machu Picchu deixará sua viagem muito mais proveitosa!

Quando ir a Cusco

Em Cusco você vai encontrar apenas duas estações durante o ano: a seca e a chuvosa. A estação seca ocorre principalmente entre os meses de maio e setembro, que coincidem com o inverno, e as temperaturas médias ficam na casa dos 10ºC, com sensação de até 0ºC ou menos à noite.

O verão é a época das chuvas, que aparecem especialmente nos meses de novembro a março e elevam as temperaturas para médias em torno dos 13ºC. Mesmo com a média um tanto baixa para o verão, é comum sentir calor durante o dia e frio à noite.

No entanto, os meses de chuva devem ser evitados, pois embora sejam mais baratos para viajar, quando chove, é bem provável que os sítios arqueológicos fiquem fechados para visitas, estragando a programação.

Junho, julho e agosto são meses em que a cidade está mais movimentada, é a alta estação, como se fala, não apenas devido ao bom tempo como também por causa das férias escolares. Viajando nesse período, faça a reserva de seu hotel com muita antecedência.

No meu caso, eu fui na primeira quinzena de outubro e gostei bastante. Considerei esse período uma espécie de meia-estação e deu aproveitar tudo sem uma enxurrada de gente.

Como chegar à cidade

A melhor maneira de chegar a Cusco, por ser a mais rápida e confortável, é de avião. Mas atenção: não há voos diretos entre o Brasil e a cidade, sendo necessário fazer uma conexão em Lima para chegar ao destino final.

Mas é muito tranquilo, pois Cusco está a apenas a 1h10 de voo da capital peruana e há diversas companhias que operam o trajeto, em vários horários, evitando conexões demoradas.

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

Trajeto por via aérea e terrestre de Lima a Cusco

Mas por favor, reserve alguns dias para Lima também na ida ou na volta. Você vai entender o por quê no post Lima: dicas e roteiro para se encantar com a capital peruana.

Empresas como LAN, Taca, Peruvian, Star Peru e LC Perú voam de todos os dias de Lima a Cusco e vice-versa. Eu optei voar, considerando a relação custo-benefício, pela LC Perú. Clique aqui e veja como é foi voar pela LC Perú.

Para pesquisar voos baratos para Lima e Cusco, use os nossos parceiros Voopter ou MaxMilhas e vai encontrar as melhores tarifas.

É possível chegar a cusco de ônibus? Sim, é possível fazer o trajeto entre Lima e Cusco por terra, mas não vale a pena. A viagem, que dura uma hora em avião, passa das 18 horas quando feita de ônibus.

O mesmo se repete quando a origem se dá em outras cidades – o relevo acidentado do Peru faz com que viagens de carro ou ônibus sejam muito exaustivas.

Os aviões são mais caros, porém possuem um custo-benefício bem superior.

O que levar na mala

Os 3.400 metros de altitude de Cusco em relação ao nível do mar fazem com que, em qualquer época do ano, seja possível sentir frio.

Assim, independente do mês escolhido, não esqueça de levar roupas de frio, como casacos, suéteres, cachecóis, luvas e gorro. A temperatura média na parte alta do Peru, como Cusco, é bem mais baixa do que aqui no Brasil.

No mais, fora a proteção para o frio, leve roupas confortáveis e calçados mais confortáveis ainda. Acredite: o que mais você vai fazer é caminhar.

Farmacinha básica

Não esqueça de levar na mala um kit básico com aqueles remédios que você está acostumado a tomar quando sente dor de cabeça, um resfriado chegando ou um mal-estar qualquer.

Para combater o mal de altitude, além do chá de coca, ao chegar em cusco uma opção são os remédios para o soroche (nome local para o mal de altitude).

Não esqueça também do protetor solar e labial, independentemente de quando for viajar e ainda hidratante. O frio, assim como o calor, também resseca muito a pele e os lábios.

Dinheiro e cartões

O Nuevo Sol (Novo Sol) ou apena Sol ou Soles (no plural) é a moeda oficial do Peru. Existem notas de 10, 20, 50, 100 e 200 soles. Há moedas de 10, 20 e 50 centavos, além de 1, 2 e 5 soles.

Vários locais comerciais, restaurantes e hotéis chegam a aceitar cartões de crédito e débito.

Há ainda quem aceite dólares americanos como pagamento, mas não se confie nisso. Até porque facilmente se faz câmbios de moeda estrangeira em casas de câmbio espalhadas no entorno da Plaza de Armas e da Avenida del Sol (as mais confiáveis), em Cusco.

Quando estive no Peru (outubro de 2017) US$ 1 valia 3,25 soles e R$ 1 apenas 90 centavos de sole. Assim, compensa levar dólares. Consulte cotação atualizada aqui.

Acerte o relógio

O Peru está duas horas a menos em relação ao horário de Brasília. Assim, ao entrar no avião atrase seu relógio.

Como se locomover do aeroporto para o centro de Cusco

O Aeroporto Internacional de Cusco, cujo nome oficial é Alejandro Velasco Astete, não fica distante do centro da cidade, o que ajuda no valor do transporte para chegar ao seu hotel.

Para sair do aeroporto, minha sugestão é utilizar os táxis – fique atento ao valor cobrado pelo taxista. No Peru não há taxímetro e o valor da corrida é acertado com o motorista antes de entrar no carro.

No caso de um trajeto entre o aeroporto e o centro de Cusco, pagar entre 10 a 15 soles (R$ 11 e R$ 17) é um valor razoável.

Você também pode organizar um transfer com o seu hotel e alguém estará lhe esperando na área de desembarque com uma plaquinha com o seu nome, a fim de lhe levar até onde você vai se hospedar.

Não, isso não é um luxo em Cusco. Você pagará em torno de 20 soles (ou R$ 22) pela comodidade, ou seja, um pouco mais do que por um táxi.

na hora de deixar a cidade uma dica: chegue ao aeroporto com bastante antecedência (pelo menos umas três horas) para fazer o check-in e a entrega das malas.

O aeroporto, apesar de internacional, é bem pequeno. Portanto, prepare-se para pegar filas grandes nos balcões das companhias aéreas.

Onde se hospedar em Cusco

Mesmo com a fama de ser um destino voltado para mochileiros, Cusco possui uma grande variedade de hotéis para quem busca conforto.

Esqueça a imagem de um lugar que tem apenas hostels (alguns por sinal muito bons), pois a capital inca tem hotéis de excelente qualidade, com preços variados.

Quanto à localização, não há como errar! A melhor área para se hospedar em Cusco é no Centro Histórico e, se possível, próximo à Plaza de Armas, local central, com diversos pontos turísticos, restaurantes e lojinhas.

Aliás, Cusco deve ser a sua base para conhecer o Valle Sagrado, Maras, Moray e a Montanha do Arco-íris, assim como chegar a Machu Picchu, pois oferece acomodações para todos os bolsos.

Pesquise seu hotel em Cusco aqui. Por meio do nosso parceiro Booking, você vai encontrar várias opções, inclusive com a possibilidade de cancelamento grátis.

Eu me hospedei no Mama Simona Hostel, que tem unidades em Ollaytatambo (Valle Sagrado) e em Águas caliente (Machu Picchu Pueblo), onde sugiro pernoitar para visitar Machu Picchu no outro dia bem cedo.

O que e onde comer em Cusco

A antiga capital do império inca não tem tantas opções gastronômicas como Lima, mas também não fica muito para trás e oferece ótimas alternativas aos seus visitantes.

Nos cardápios há pratos típicos dos Andes e do litoral peruano, da cozinha criolla (do interior do Peru) e, ainda, da cozinha internacional.

As opções vão desde porquinho-da-índia, conhecido como cuy, carne de alpaca, passando por ceviche a massas – certamente haverá pratos para agradá-lo e com preços que caibam no seu orçamento.

O que e onde comer em Cusco

Não deixe de experimentar um delicioso filé de alpaca

Em todo o centro histórico há ótimas opções de restaurantes. Evite aqueles em torno da Plaza de Armas, geralmente mais caros.

E por favor não deixe de tomar a Inka Cola, refrigerante mais popular do que a coca-cola no Peru, que possui coloração amarela e ótimo sabor (ao menos para mim). Experimentá-lo faz parte da viagem, pois a bebida é quase um patrimônio cultural peruano.

Tem também Chicha Morada, refresco que leva um milho de cor avermelhada e especiarias, super gostoso e refrescante. E, claro, o pisco e os coquetéis a base dessa aguardente, sendo o mais famoso o Pisco Sauer.

O que e onde comer em Cusco

O delicioso refresco Chicha Morada

Lembre que, para evitar problemas estomacais devido à altitude, é aconselhável não exagerar nas refeições. Procure comer coisas leves, beber bastante água e descansar.

Como circular pela cidade e região

Para conhecer o Centro Histórico de Cusco o ideal é fazê-lo à pé e pode ser por conta própria. Não há mistério.

No entanto, o famoso city tour oferecido pelas agências locais, ocorre na verdade nos arredores, incluindo os principais sítios arqueológicos do entorno. Saiba mais sobre esse tour aqui.

Para ganhar tempo e não ficar rodando de um lado para o outro em busca de informação – tendo em conta que o trânsito dentro de Cusco é ruim, existe dificuldade de estacionamento e as estradas para chegar aos pontos de interesse não são muito boas -, eu acho que vale sim se juntar a um tour como esse. É barato e você ainda contará com um guia para explicar tudo.

No que se refere aos táxis, eles costumam custar pouco no Peru, mesmo para distâncias maiores, mas não esqueça de que as corridas são negociadas. Eles não usam taxímetro. O Uber pode ser uma alternativa (veja como usar o Uber no exterior aqui).

Se você optar pelos passeios com agências de turismo, saiba que existem um monte delas em Cusco, todas oferecendo o tal do city tour, passeios a Maras e Moray, à Montanha do Arco-íris e Machu Picchu, entre outros.

E como eu falei, as agências são uma boa opção para quem planeja economizar e conhecer todos os atrativos, mas é preciso ter cuidado, pois nem sempre elas dedicam o tempo que gostaríamos às atrações.

Leve em consideração que as caminhadas em um altitude tão elevada são cansativas e o ritmo do passeio é de cada um. Antes de contratar um tour, certifique-se do tempo dedicado à cada atração, o que o passeio inclui e de que o guia não lhe fará conhecer tudo com pressa.

Vale à pena contratar passeios em Cusco?

Demais! Um guia faz toda a diferença ao visitar um museu ou sítio arqueológico; não hesite em contratar um serviço dessa natureza.

Sem entender o contexto histórico e as curiosidades de cada local, não será possível compreender a grandeza da cultura inca e poder se maravilhar quando chegar a Machu Picchu, que também pede um guia.

Procure não chegar ao ponto alto da viagem (Machu Picchu) sem o devido conhecimento. Isso evitará que você solte pérolas como esta: “mas isto aqui é só um monte de pedras!” Pode parecer brincadeira minha mas não é. Cheguei mesmo a escutar isso (vergonha alheia! Risos…).

Preços dos passeios

A oferta é variada. assim como os preços. No meu caso, pelo City Tour (US$ 12 ou R$ 40), Passeio a Maras e Moray (US$ 17 ou R$ 58), Vale Sagrado (US$ 17 ou R$ 58) e a Montanha do Arco-Íris (US$ 33 ou R$ 112) eu paguei, ao todo US$ 79, ou cerca de R$ 268.

Os tours incluam transporte e guia sem ingressos (sobre entrada nas atrações, veja mais adiante a seção Boleto Turístico de Cusco), exceto o passeio da Montanha do Arco-íris, que além desses itens, contemplava café da manhã, almoço e ingresso (pode ser comprado no local).

Contratei e paguei por todos os passeios ainda em Lima, no quiosque de turismo da empresa Rasgos del Peru, no hostel no qual eu me hospedei. Eles também têm unidades em Cusco.

Eles foram muito atenciosos, o guia ia me pegar todos os dias no hostel para fazer os passeios, e por isso os estou indicando. Não fui patrocinado em nada por eles.

Mas você também pode deixar para contratar esses passeios em Cusco. A oferta e os preços são variados. Só tenha cuidado com valores muitos inferiores à média e certifique-se bem o que está incluído no tour e o itinerário.

Com relação a Machu Picchu, dá para organizar o seu passeio por conta própria, mas aconselho demasiadamente comprar os trens e o ingresso antecipadamente, deixando para contratar um guia a um bom preço na entrada da atração (20 a 30 soles ou R$ 22 a R$ 33 por pessoa em um grupo de 10 pessoas, formado na hora. O tour dura 2h30). Explicarei tudo em um outro post, falando sobre esse destino.

Boleto turístico de Cusco: ingresso para as atrações

Cusco tem dezenas de sítios arqueológicos e museus. E para conhecer tudo isso (exceto Machu Picchu, que possui ingresso separado e sobre o qual falarei em outro post), vai ser necessário adquirir o Boleto Turistico, que inclui 14 das mais importantes atrações da cidade e entorno.

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

O Boleto Turístico de Cusco inclui 14 das mais importantes atrações da cidade e entorno

Diferentemente do ingresso para Machu Picchu, que tem que ser reservado com antecedência, o Boleto Turístico de Cusco, só pode ser comprado na cidade, pessoalmente e com seu passaporte em mãos, pois ele é nominal e você terá que apresentá-lo na entrada de cada uma das atrações listadas, esteja você com um guia ou não.

Sem esse boleto, você dificilmente conseguirá entrar nas atrações cobertas por ele, pois alguns desses lugares não têm bilheteria no local.

Por causa disso, o Boleto Turístico de Cusco acaba sendo um recurso indispensável para quem pretende visitar algumas atrações da cidade e da região do Vale Sagrado.

O que está incluso no Boleto Turístico?

quatro tipos de Boleto Turístico de Cusco: Geral (General em espanhol), Circuito 1, Circuito 2 e Circuito 3. Cada circuito inclui diferentes atrações e sítios arqueológicos e, dependendo do seu tempo e do seu roteiro, pode ser que fazer apenas um dos circuitos seja mais vantajoso.

Outra coisa: esse boleto não inclui transporte e guia. Ele dá direito apenas à entrada nas atrações, ficando esses outros serviços a cargo do turista. Por isso, eu recomendo contratar os passeios locais.

Circuito Geral

Essa modalidade do Boleto Turístico inclui os circuitos 1, 2 e 3. Indicado para quase todas as pessoas, pois a grande maioria dos turistas irá visitar pelo menos um sítio perto de Cusco e um sítio do Vale Sagrado. Desta forma, comprar o Boleto Turístico Geral sai mais barato que comprar dois circuitos separadamente.

Circuito 1

Vale para os sítios Arqueológicos próximos a Cusco, que fazem parte do City Tour sobre o qual eu falei: Saqsayhuamán, Q’enko, Puka Pukara e Tambomachay. Ele indicado para quem não tem muito tempo e quer conhecer os principais sítios arqueológicos na região de Cusco.

Circuito 2

Corresponde ao circuito turístico de museus, entre eles: Museu Municipal de Arte Contemporânea, Museu Histórico Regional, Museu do Sítio de Qoricancha, Monumento ao Inka Pachacuteq, Pikillaqta e Tipón. Indicado para quem quer conhecer um pouco mais da arte e história dos Incas e de Cusco.

Circuito 3

Contempla os sítios arqueológicos do Vale Sagrado dos Incas: Ollantaytambo, Moray, Pisac e Chinchero. Indicado para quem quer conhecer o Vale Sagrado.

Mesmo que você não faça todos os circuitos por completo, acaba sendo necessário o Boleto Geral, por uma questão de preço e comodidade.

Eu por, exemplo, fiz todo o circuito 1, nada do circuito 2 e Ollantaytambo, Moray e Pisac, no Circuito 3, usando o Boleto Geral.

Nota: Ollantaytambo, é onde pegamos o trem para Águas Calientes (ou Machu Picchu Pueblo), onde recomendo pernoitar, a fim de visitar Machu Picchu.

Quanto custa o Boleto Turístico de Cusco e qual a sua validade?

Valores

  • Boleto Turístico de Cusco Geral – 130 soles
  • Boleto Turístico de Cusco Geral para estudantes estrangeiros – 70 soles
  • Para cada um dos circuitos separadamente – 70 soles.

Mesmo que você não faça todos os circuitos por completo, acaba sendo necessário, repito, o Boleto Geral, por uma questão de preço e comodidade.

Validade

O Boleto Turístico é válido por 10 dias a partir da data de compra e só pode ser usado uma vez em cada atração.

Onde comprar Boleto Turístico de Cusco

A recomendação é comprar seu Boleto Turístico no escritório da Comitê de Serviços Turísticos e Culturais de Cusco (Cosituc), localizado na Avenida del Sol, 103, que não fica longe da Plaza de Armas.

Você pode encontrar mais informações sobre o preço atualizado e os diferentes circuitos no site do Cosituc.

Não se preocupe se, ao fim da sua viagem, você não conseguir marcar, literalmente, todas as atrações inclusas no boleto. É normal. Eu mesmo não o fiz.

E a segurança?

Cusco é bastante segura. Frequentemente, vemos policiais nas ruas e turistas circulando. É uma cidade pacata, pelo menos no Centro Histórico. Circulei dia e noite com tranquilidade.

Vida Noturna de Cusco

Curtir a noite decididamente não é o foco da grande maioria de turistas que visitam Cusco. Até porque os passeios são cansativos e alguns começam ainda de madrugada.

Mas se for do seu interesse, há sim o que fazer depois que o sol se põe nesta cidade. Além do circuito de bares e restaurantes, a fama de melhor balada da cidade é a do Mama Africa.

Jovens, especialmente, adoram o local por se tratar de um lugar com pessoas de todo o mundo. No entanto, confesso que não posso opinar, pois o foco da minha viagem não foi esse.

Comunicação no Peru

Para facilitar o contato com familiares e amigos no Brasil, eu gosto de viajar ao exterior conectado e para isso uso sempre o nosso parceiro EasySim4U, que tem chips com internet ilimitada nos Estados Unidos e em mais 140 países.

Nesta viagem ao Peru, por questão logística e do tempo disponível entre a decisão de viajar e a data do embarque, não foi possível contar com o apoio da EasySim4U. Não haveria tempo hábil de o chip chegar.

Assim, optei por comprar um chip local ao desembarcar em Lima. O fiz em uma loja Claro em Miraflores. Comprei um Sim Card com franquia de 3 giga de internet por 35 soles, quase R$ 40.

No entanto, apesar de mais barato do que um chip internacional pré-pago, isto me custou uma perda absurda de tempo, pois desperdicei a tarde inteira do meu primeiro dia em Lima com a burocracia para adquirir o chip, enquanto poderia estar conhecendo a cidade.

Portanto, em suas viagens internacionais, se você já puder sair do Brasil com um chip para chegar ao destino conectado, eu recomendo demais. Confira preços e as opções da EasySim4U aqui.

Se quiser um relato mais detalhado sobre como esse chip funciona e como adquirir, veja a minha experiência aqui.

Compras em Cusco

Se você gosta de artesanato, Cusco é irresistível. Muitas gente pensa que o Peru não é um país para compras, mas se engana! Quem gosta de roupas, artigos de decoração e obras de arte não conseguirá voltar para o Brasil sem novas aquisições na mala.

E nem é preciso muito esforço de sua parte para isso. Basta alguns passos nas ruas para ver lojinhas e vendedores oferecendo mantas, casacos, gorros, luvas, espelhos cusquenhos (lindos!) entre outros itens.

Os tecidos coloridos, as roupas feitas de lã alpaca e os quadros com as típicas mulheres andinas são as principais coisas que você verá vendendo nos mercados de Cusco e Valle Sagrado.

É o turismo que sustenta grande parte dos moradores dessa região; por isso há gente vendendo coisas por todos os lados e eu acho super válido dar uma força para as comunidades de artesãos.

Dica: os mercados de Pisac e Chinchero são excelentes no quesito preço, mas vale pechinchar um pouquinho e pagar mais barato ainda. Já no centro de Cusco, o Centro Artesanal vale pela variedade.

Compras em Cusco

Artesã em Chinchero

Atenção: ao comprar luvas, gorros e roupas de frio, certifique-se se a lã é mesmo de alpaca, que pode ser de alpaca bebê (mais macia e mais cara) e de alpaca adulta.

Itens feitos com esse tipo de lã são mais caros do que os sintéticos, vendidos por todos os lados em Cusco, por um preço muito barato. Portanto, certifique-se da qualidade e da origem do produto.

Eu comprei um par de luvas e um gorro de alpaca adulta, em uma comunidade de artesãs em Chinchero, por 50 soles.

O que comprar em Cusco

Minhas compras em Cusco: para mim e para presentear

Roteiro de sete dias por Cusco e região

Como eu falei no início desse post, Cusco vale muito à pena e os atrativos não se limitam à cidade em si.

Para você ter uma ideia, os incas ocuparam e ergueram construções em diferentes locais dos Andes, buscando sempre a melhor área para o plantio ou estudo.

Por isso, há diversos locais interessantes para conhecer que ficam distantes do centro de Cusco.

Além de Machu Picchu, existem Pisac, Moray e Ollantaytambo. Sem contar pontos pós-incas como as salineiras de Maras e a Montanha do Arco-íris.

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

O impressionante Sítio Arqueológico de Pisac, no Valle Sagrado

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

Salineiras de Maras

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

Sítio Arqueológico de Moray

Como planejar uma viagem a Cusco, Valle Sagrado e Machu Picchu no Peru

Maravilhado na Montanha do Arco-íris ou Rainbow Mountain

E para você que está planejando sua viagem, veja a seguir como eu montei um roteiro de sete dias por Cusco, Vale Sagrado dos Incas e Machu Picchu. Acho um roteiro bastante razoável e que não vai lhe deixar cansado.

Primeiro dia

Chegada a Cusco à tarde, check-in no hostel, confirmação dos passeios dos próximos dias (contratados ainda em Lima), jantar e descanso. No primeiro dia, descansar é fundamental dado ao mal de altitude. Maneire nas refeições. Coma coisas leves.

Segundo dia

Pela manhã optei por descansar no hostel e só fazer o city tour no período da tarde. Entre 14h e 18h. Depois, jantar e cama.

Terceiro dia

Tour por Maras e Moray de um dia.

Quarto dia

Tour pelo Vale Sagrado de um dia. Ao chegar em Ollaytatambo, de onde pegamos o trem a Águas Calientes, a fim de pernoitar e visitar Machu Picchu no dia seguinte, eu avisei ao guia que não continuaria.

Assim, deixei de fora o sítio Arqueológico de Chinchero, o qual não é tão impressionante quanto Pisac ou Ollantaytambo.

Esta é a opção de quase a totalidade dos viajantes, ou seja, coordenar o tour do Vale Sagrado com a ida a Machu Picchu.

Quinto dia

Visita a Machu Picchu pela manhã e retorno de trem a Cusco no meio da tarde com chegada a noite.

Sexto dia

Dediquei a Cusco. Aproveitei para me recuperar dos passeios dos dias anteriores e caminhar com calma pela cidade, admirando a arquitetura colonial, dedicando um tempo para compras. O artesanato peruano é muito rico!

Sétimo dia

Passeio de um dia à Montanha do Arco-íris. Retornei a Cusco onde pernoitei. No dia seguinte, peguei um voo para Lima e voltei para o Brasil.

Abaixo, descrevo cada um dos passeios desse roteiro:

O que fazer em Cusco, no Peru: as melhores atividades e atrações

Moray e as salinas de Maras: cenários incríveis para descobrir no Peru

Vale Sagrado dos Incas: como visitar e por quê conhecer!

Machu Picchu: como chegar à cidade inca e visitar por conta própria

Machu Picchu de trem: como é viajar de Inca Rail

Cusco além do básico: a incrível Montanha do Arco-Íris, no Peru

Dicas práticas para visitar Cusco e região

  • Use o dia da chegada em Cusco para descansar e se acostumar com a altitude.
  • Hospede-se no Centro Histórico próximo à Plaza de Armas.
  • Adquira o Boleto Turístico ao chegar na cidade para poder visitar os sítios arqueológicos de Cusco e o Valle Sagrado.
  • Deixe para contratar localmente os passeios clássicos: City Tour, Vale Sagrado, Maras e Moray e Montanha do Arco-íris (Rainbow Mountain). Há uma quantidade enorme de agências oferecendo esses passeios e a preços variados.
  • Percorra o centro histórico a pé e sem pressa. Você pode fazê-lo por conta própria.
  • Visite as ruínas de Cusco  (City Tour) e do valle Sagrado com um tour guiado.
  • Compre ainda no Brasil o ingresso e os trens de ida e volta para Machu Picchu, devido à grande procura e ao limite do número de turistas por dia. Consulte aqui.
  • Pela praticidade, combine sua ida a Machu Picchu com o tour do Valle Sagrado.

Ainda sobre o Peru, recomendo a leitura:

Lima: dicas e roteiro para descobrir e se encantar pela capital peruana

Lima-Cusco: como é voar de LC Perú

Machu Picchu: turista terá que escolher horário de visitação

 

E aí, gostou das nossas dicas? Esse post foi útil para você? Então, que tal compartilhar com seus amigos nas redes sociais? Os botões de compartilhamento estão no início e no fim do texto. Também dá para encaminhar por e-mail e mandar pelo WhatsApp (se você estiver usando um celular).

Quer sempre ficar por dentro de todas as dicas do blog? Pois então assine a nossa Newsletter semanal aqui. Receba gratuitamente e diretamente no seu e-mail o nosso conteúdo.

E para acompanhar nossas viagens e atividades siga a gente no Facebook, no Instagram, no  Twitter e no Pinterest.

Está pensando em viajar para o Peru? Pois veja a seguir o que o Blog Andarilho pode fazer por você!

Monte sua viagem com a gente

Conosco, é possível montar a sua viagem inteirinha sem sair de casa ou de onde estiver e com poucos cliques.

Além disso, fazendo suas reservas aqui pelos banners na lateral direita do blog ou pelos links a seguir você não pagará nada a mais por isso e ainda ajudará a manter o nosso trabalho.

Nossos parceiros foram escolhidos a dedo para lhe oferecer o melhor custo/benefício em suas viagens. Olha só!

Para procurar voos baratos para o Peruacesse o Voopter  ou o Confira o Max Milhas e encontre tarifas que se encaixem no seu bolso. Eles reúnem várias ofertas de passagens em um só lugar!

Reserve seu hotel ou hostel em Lima e em Cusco pelo Booking clicando aqui e tenha uma estada com o melhor preço. Há várias opções com cancelamento grátis!

Seguro viagem com desconto? Nosso parceiro Segurospromo oferece mais de 10 seguradoras com planos e preços imbatíveis para você viajar protegido. Faça a sua cotação e garanta já seu desconto exclusivo.

Utilize o cupom “BLOGANDARILHO5”. Ele lhe dá direito a 5% de abatimento na compra do seguro de viagem e ainda é possível parcelar em até 10 vezes. Não viaje sem seguro. Evite perrengues!

Vai querer alugar um carro em seu destino? Então, compare preços e tenha o melhor atendimento com Rentcars.com. Alugue aqui um veículo pagando em até 12 parcelas, livre de IOF e com até 60% de desconto.

E se você já quiser chegar ao seu destino conectado sem pagar uma fortuna de roaming, aposte no EASYSIM4U (saiba como foi nossa experiência), chip com internet ilimitada em mais de 140 países. Compre aqui.

Está sem tempo, não se sente seguro, precisa de ajuda para organizar a sua viagem? Confira nosso serviço de consultoria para o viajante. Entre em contato e vamos conversar!

E se durante a sua viagem você tiver problemas como atrasos e cancelamentos de voos, extravio de bagagem, overbooking, entre outros, a gente também tem a solução: acesse o Ajudajus  e reclame seus direitos na justiça de forma prática, segura e online e receba sua indenização Veja como funciona.

E o melhor: você só paga se ganhar a causa. Quer reclamar os seus direitos? Acesse aqui e receba!

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *