Côte d’Azur: dicas para conhecer Nice e a região

por

A fama de chique e cara não deve jamais tirar a sua vontade de um dia conhecer a Côte d’Azur, ou Riviera Francesa, como ela também é chamada. De fato, detentora de um dos litorais mais fascinantes e badalados da Europa – no sul da França, entre os vinhedos da Provence e os Alpes Marítimos e ainda coladinha na Itália -, a Costa Azul, em bom português, é a mais perfeita tradução do estilo de vida mediterrâneo.

Não tem como negar que o glamour ali habita. Que o digam os incontáveis e maravilhosos iates que repousam a cada porto e as mansões pontilhando a costa.

Porém, não deixe que isso lhe intimide. Em meio a essa aura de luxo, poder e sedução, a Côte d’Azur esconde truques para que o viajante mais econômico possa desfrutá-la. E foram exatamente eles que me ajudaram a passar cinco dias deliciosos zanzando entre Nice, Cannes, St. Tropez e outras charmosas pequenas cidades no entorno e, de quebra, também dar o ar da graça no Principado de Mônaco e sua célebre Monte Carlo.

Para começo de conversa, a primeira dica é: Nice deve ser a sua base para se estabelecer na região. Eu digo isso por dois motivos: localização estratégica e preço das acomodações.

Mapa Localização Nice Côte d’Azur Crédito: Blog Andarilho

Esta cidade funciona como a capital da Riviera Francesa. Tem 380 mil habitantes, abriga o único aeroporto da região (Nice Côte d’Azur) e está entre St. Tropez, em um extremo, e Mônaco do outro. As distâncias são curtas, o que dá a chance de a cada dia visitar uma ou duas cidades sem pressa.

Mapa de localização dos destinos da Côte d’Azur Crédito: Blog Andarilho

Em segundo lugar vem o valor que se paga por uma diária de hotel. Na média, entre junho e setembro, meses em que a Cotê d’Azur está mais radiante e animada, o preço para duas pessoas em Nice chega a ser mais em conta do que em Cannes e muito mais barato se comparada a St. Tropez. Veja o levantamento que o buscador de hotéis Trivago fez com exclusividade para o Blog Andarilho confirmando isso e tire suas conclusões.

Junho: Cannes – 179 euros; Nice – 163 euros e St.Tropez – 408 euros
Julho: Cannes – 200 euros; Nice – 170 euros e St.Tropez – 595 euros
Agosto: Cannes – 227 euros; Nice – 171 euros e St.Tropez – 529 euros
Setembro: Cannes – 161 euros; Nice – 161 euros e St.Tropez – 360 euros

Isso sem contar os hostels, onde dá para se hospedar pagando em torno de 30 a 40 euros a noite em um quarto compartilhado, e, claro, está foi a minha opção.

Por cinco noites de hospedagem, incluindo um fartíssimo café da manhã eu desembolsei 186 euros (37,5 euros/dia), pouco mais do que uma diária de hotel. Diga se não foi um bom negócio!

Chegando a Nice

Embora os trens de alta velocidade liguem (TGV) Paris a Nice (5h30 de viagem), o avião é a forma mais rápida de você chegar à cidade. Às vezes até mais conta do que viajar sobre trilhos, se a passagem for comprada com antecedência.

Além disso, não há a necessidade de se deslocar primeiro até capital da França, pois quase todas as cidades europeias (Lisboa, Madri, Barcelona, Londres e Roma, por exemplo) têm voos diários para lá, incluindo aí companhias aéreas de baixo custo como a Easy Jet.

Para ajudar na pesquisa você pode utilizar um desses buscadores de passagens aéreas que eu normalmente uso: Skyscanner, Kayak, Voopter ou Momondo. Todos são muito bons e ainda permitem cadastrar alerta de preços.

Uma vez no Destino, o Aeroporto Nice Côte dÁzur fica a seis quilômetros do centro de Nice e entre as 5h da manhã e 22h as linhas de ônibus 98 (a cada 16 minutos) e 99 (a cada 30 minutos) passam pelos terminais 1 e 2. A primeira leva até o Promenade des Artists, no centro. A segunda vai até a estação de trem Nice-Ville. O valor da passagem é de apenas seis euros, bem mais em conta do que os táxis que podem chegar a mais de 30 euros nestes mesmos percursos.

Portanto, tente programar a sua chegada nesse intervalo para economizar no deslocamento. Além do que, chegando de dia, você terá uma vista deslumbrante de todo o litoral da janela do avião e também da orla de Nice durante o percurso do ônibus até o seu hotel, visto que o trajeto é pela Promenade des Anglais, avenida que margeia a praia.

Orientando-se na cidade

O principal ponto de referência de Nice é a Place Massena (Praça Massena). A avenida principal, Jean Médécin, liga esta praça à estação de trem. Já a Promenade des Anglais como eu falei, é a avenida que margeia a praia. A parte antiga de Nice, chamada de Vieux Nice, coladinha na Place Massena, é delineada pela Quai des États-Unis e pelo Boulevar Jean Jaurés e na ponta esquerda pelo parque Le Château, de onde do alto do morro temos a melhor vista da cidade, do porto e da praia. Rende muitas fotos.

Mapa de Nice e principais pontos de interesse Crédito: Blog Andarilho

Tirando os museus dedicados a importantes pintores franceses, um pouco mais distantes e para os quais você vai necessitar de transporte público se desejar visitá-los, o que mais vale à pena conhecer em Nice se concentra nessa delimitação.

Onde se hospedar

Os hotéis e albergues mais baratos estão no entorno da estação de trem de Nice. Ao contrário do que ocorre com os que estão mais próximos à praia e ao longo da Promenade des Anglais. Mas não se preocupe se você optar por uma acomodação próximo à estação. Em uma caminhada de cerca de 15 minutos pela avenida Jean Médécin, passando pela Place Massena, você já estará vendo o mar. Além do que circular por Nice é muito tranquilo, mesmo à noite. Basta ter os mesmos cuidados que se toma em sua cidade, evitando ruas desertas e mal iluminadas.

No meu caso, depois de muita pesquisa para encontrar a velha e boa relação custo-benefício, eu optei pelo hostel Villa Saint Exupery, a duas quadras da Place Massena e bem atrás das Galleries Lafayette. A localização é perfeita e tudo que eu fiz em Nice deu para me deslocar a pé. Perfeito!

O local é muito limpo e disponibiliza quartos desde individuais a compartilhados para até dez pessoas. Eu optei por um com banheiro, ar-condicionado e apenas três camas. A diária com café da manhã saiu por 37,5 euros (valor de setembro de 2016).

Esse hostel tem também um bar/restaurante anexo onde é possível jantar ou tomar um drinque a preços bem módicos. Sanduíches e lasanhas custam entre 6 e 8 euros, a taça de vinho sai a 4 euros, assim como a cerveja. E se você não optou pelo café da manhã no ato da reserva, pode tomá-lo todos os dias por 4,5 euros. É fartíssimo e muito bom!

Veja algumas imagens do lugar:

Fachada Hostel Villa Saint Exupery Foto: Anchieta Dantas Jr.

Interior do Hostel Villa Saint Exupery Foto: Anchieta Dantas Jr.

Restaurante/Bar do Hostel Villa Saint Exupery Foto: Anchieta Dantas Jr.

Como circular

O Transporte público em Nice é bastante eficiente, rápido e é com eles que você chega aos museus, que ficam bem longe da Place Massena e de Vieux Nice. Os bilhetes do trams, espécie de bondes elétricos, são comprados em máquinas instaladas nas paradas. Custam 1,5 euro e também podem ser usados nos ônibus, em um intervalo de 74 minutos. Não esqueça de validar ao entrar no veículo. Já nos ônibus, as passagens podem ser compradas direto com o motorista.

O acesso aos demais destinos da Côte d’Azur também podem ser feitos de ônibus ou de trem. O que explicarei melhor quando falar da minha programação. Mais informações sobre valores e trajetos consulte o site lignesdazur.com.

Comer e beber

Assim como em relação à hospedagem, os restaurantes mais em conta estão ao redor da estação de trem de Nice. Já se você estiver hospedado próximo à Place Massena, a Rue Massena está coberta de restaurantes. No entanto os preços são bem salgados, pelo menos para os meus padrões.

No entanto, me surpreendi com os restaurantes de Vieux Nice. Os “formules”, como são chamados os menus do dia, representam o melhor custo-benefício para comer em restaurantes seja em Nice ou em qualquer lugar da França. Mas fique atento porque os valores cobrados são diferentes para o almoço (mais em conta) e para o jantar. Para você ter uma ideia cheguei a pagar apenas 16,5 euros por um jantar incluindo entrada, prato principal e sobremesa em restaurantes na Vieux Nice.

Nessa região se come também pizzas individuais (o tamanho é como na Itália, ou seja, grande) a partir de 10 euros e massas desde 13 euros. Já a porção de mexilhões, muito farta, servida em pequenos caldeirões, com a iguaria preparada no vinho branco e ao vapor, acompanhada de uma cesta de pães e batatas fritas se come pagando entre 11 e 14 euros. Tem em toda a Côte d’Azur e é um prato delicioso. Recomendo demais. É a cara da região!

Para beber, taças de vinho saem entre 4 euros e oito euros, assim como a cerveja. Tudo vai depender da marca, do tamanho e do local. Detalhe: nos bares, em horários mais avançados da noite, os preços das bebidas são bem salgados.

Tenha esses valores como referência e faça as suas escolhas entre os estabelecimentos e pedidos. Estive em Nice no fim de setembro de 2016, quando o fluxo de turista que vai no verão começa a diminuir, então pode ser que em julho e agosto eles devam ser mais altos.

Se quiser economizar mais ainda na alimentação, aposte nos supermercados. É neles que você deve comprar água para beber – uma garrafa de água mineral de 1,5 litro custa menos de um euro. Outra opção são os fast foods como o Subway, que tem em toda parte, e onde se paga um menu incluindo sanduíche, refrigerante e batata ou cookies a partir de 6,8 euros.

Quer algo bem típico de Nice? Vá de Socca. Esta é a comida de rua mais típica do lugar. Todos que vão para lá devem experimentar. É cultural, tradicional e é a cara da cidade. Trata-se de um tipo um crepe, mas com a massa feita de grão de bico. Se come sempre salgado, podendo acrescentar sal e pimenta.

A Socca é a comida de rua mais típica de Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

A porção de Socca, bem generosa por sinal, é servida em pedaços e vem enrolada em papel. Cai muito bem com uma cerveja bem gelada. No início fiquei reticente em comer, até porque não gosto de grão de bico. Mas não é que é gostoso. Cuidado para não se viciar!

A socca mais badalada de Nice você vai encontrar no René Socca, que fica na Rua Miralheti, número 2 em Vieux Nice. Paguei 3 euros pela porção.

Fachada do Restaurante René Socca em Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Sugestão de roteiro de um dia por Nice

Comece o dia pela Place Massena. Ela é a praça principal de Nice e é uma das mais originais da França, com piso quadriculado, abrigando uma instalação de arte moderna com esculturas do artista catalão Jaume Plensa posicionadas sobre pedestais bem altos, que ganham uma atmosfera especial à noite, quando as sete estátuas de homens ajoelhados que compõem a obra, representando os sete continentes, recebem uma iluminação com cores vibrantes.

Place Massena Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Com uma estátua de Apolo de cerca de sete metros de altura na parte central, a fonte localizada em uma das extremidades é outro atrativo dessa praça, retratando várias histórias da mitologia grega. Sente-se na beirada da fonte para observar o movimento das pessoas ou junte-se à grande quantidade de turistas tirando fotos.

Estátua de Apolo na Place Massena em Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Observe ainda os edifícios que circundam a praça. Todos eles possuem paredes vermelhas ou alaranjadas e persianas azuis, uma característica típica da região. Enormes arcos de pedra conduzem os pedestres a várias lojas e restaurantes, incluindo as Galeries Lafayette.

Por fim, a Place Massena dá acesso ainda ao parque que cobre o leito do rio Paillon. Ali, a maior atração são os jatos d’água que saem do chão em uma espécie de praça-fonte. À noite os jatos são iluminados com as cores da França. Sensacional! Portanto, já sabe, né? Dê um jeitinho de voltar depois do anoitecer para ver a praça transformada.

Parque que cobre o leito do rio Paillon. Detalhe da fonte que jorra água do chão Foto: Anchieta Dantas Jr.

Iluminação da fonte do parque sobre o leito do rio Paillon Foto: Anchieta Dantas Jr.

Dali, sua próxima parada deve ser no caminho para a parte antiga de Nice, que fica a pouco metros, onde ainda pela manhã você deve visitar o Mercado de Frutas e Flores (e outros produtos da região também), um dos cenários mais pitorescos de Nice. A feira acontece de terça a domingo sempre das 7h às 13h. Às segundas o lugar cede espaço para uma feira de antiguidades.

Para chegar lá, depois da fonte com a estátua de Apolo na Place Massena, desça as escadarias e caminhe pela Rue de L’opera até o seu fim (São apenas duas pequenas quadras) dobrando à direita na Rue Saint-Françoise de Paule cuja continuação é a Cours Saleya, espécie de alameda onde o Mercado de Frutas e Flores se instala. Caminhe entre banquinhas com flores de todas as espécies e tamanhos, frutas diversas e, em paralelo, queijos, doces, sabonetes da Provence, temperos e tudo de mais delicioso que a região oferta.

Mercado de Frutas e Flores Foto: Anchieta Dantas Jr.

Mercado de Frutas e Flores Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Além de flores e frutas o mercado vende outros produtos como azeites, temperos, queijos e doces Foto: Anchieta Dantas Jr.

Ao fim do mercado fica Vieux Nice. Daí é só se perder pelos becos e vielas e se deixar levar pela beleza dos edifícios, suas lojinhas e igrejas.

Vieux Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Vieux Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Vieux Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Vieux Nice Foto: Anchieta Dantas Jr.

Se bater a fome, você já pode almoçar ou lanchar pela região, pontilhada de bistrôs e padarias. Se quiser economizar, pode ser a chance de comer uma porção de socca (vide a seção comer e beber).

Caso contrário, passe direto para o Colina do Castelo, ou Parc de La Coline de Chateau, que fica logo depois de Vieux Nice e que a separa do porto. A subida pode ser por uma escadaria ou pelo elevador (gratuito) cuja entrada se dá a partir da Rue Rossetti. Recomendo subir caminhando, a vista é linda e não é tão cansativo assim. Mas é do topo da colina que você vai se maravilhar. Ali, bem na extremidade leste da praia, dos mirantes disponíveis, se tem uma vista panorâmica da baia de Nice e de toda a extensão da Promenade des Anglais de um lado e do porto do outro. Infelizmente o castelo que dá nome ao local não existe mais. Há ainda uma cascata.

Vista da Baia de Nice e da Promenade des Anglais desde o mirante do Château Foto: Anchieta Dantas Jr.

Vista do Porto de Nice desde o mirante do Château Foto: Anchieta Dantas Jr.

Depois de visitar a Colina do Castelo desça até a praia e caminhe pela Quai des États-Unis que vai dar na Promenade des Anglais. Com cerca de seis quilômetros de extensão, o calçadão pavimentado acompanha os característicos guarda-sóis azuis e brancos e as praias de águas azuis da cidade. Do outro lado da rua, de frente para o calçadão, estão elegantes cafés e restaurantes, além de hotéis sofisticados. Em resumo, a maior demonstração da pompa de Nice.

Tudo bem que a praia é de pedrinhas, mas as plages, como são chamadas as barracas de praia francesas, têm passadeiras de sisal entre as espreguiçadeiras, para não machucar os pés dos visitantes. No entanto se paga bem caro para se acomodar ali.

Se não quiser gastar, prefira uma das praias públicas do local. Bastante popular, é a Beau Rivage é uma praia pública bem perto da região de Vieux Nice, do Castelo e ainda da Place Massena. O local dispõe de duchas e banheiros.

Praia pública de Beau Rivage Foto: Anchieta Dantas Jr.

Praia pública de Beau Rivage Foto: Anchieta Dantas Jr.

Leve uma esteira ou toalha e se acomode para ver o pôr do sol. Sugiro passar antes em um supermercado e comprar uma boa garrafa de vinho branco ou rosé (mais apropriados para os meses quentes) ou ainda de espumante, se preferir, alguns pães e fazer um piquenique com bastante estilo. Não se preocupe. Você não vai ser o único.

Após o sol se pôr volte à Place Massena para ver suas atrações iluminadas. Na hora do jantar escolha um dos restaurantes de Vieux Nice e se quiser esticar há muitos bares no entorno assim como na Place Garibaldi e região, revitalizada depois que foi concluída a obra do tram, abrigando, assim, a nova cena noturna local.

Place Garibaldi Foto: Anchieta Dantas Jr.

Se tiver mais tempo para dedicar à cidade, além desses atrativos, Nice tem uma veia artística forte. O pintor Henri Matisse foi um de seus mais ilustres moradores, e o museu em sua homenagem (acesso pelo ônibus de número 15), num bairro afastado do Centro, está lá para contar a história.

O menu cultural inclui ainda um belo Museu de Arte Moderna Contemporânea, o Mamac (a um pulo de Viex Nice) e o Museu Marc Chagall (chega-se com o ônibus 15). Não visitei nenhum deles, pois como eu já vi muito das obras desses artistas em outros museus e cidades pelo mundo, não me interessei. Preferi dedicar os demais dias conhecendo outros destinos da Côte d’Azur, os quais detalharei mais adiante. Mas fica a dica.

Quando ir

Entre o fim de maio, se você quiser pegar o festival de cinema de Cannes, ou início de junho e setembro, quando vai terminando a primavera e chega o verão, tudo estará funcionando e vai dar até para curtir a praia. Já entre outubro e abril, embora tudo seja mais barato por ali, o frio tira o encanto da região. Mas atenção: os meses de julho e agosto sãos os mais cheios de turistas e quando a temperatura está mais quente.

Viagens de um dia desde Nice

Como dito no início deste post, Nice é a base ideal para explorar a Côte d’Azur, pois a partir dela dá para fazer várias viagens de um dia. Olha só as distâncias entre Nice e os lugares que visitei no meu roteiro pela região: Antibes está a apenas 20 minutos de trem, Cannes a 30 minutos, St. Tropez a duas horas e meia de barco (a melhor opção se quiser fazer um bate e volta), Saint Paul de Vence a uma hora de ônibus, Eze a epenas 20 minutos de ônibus e Mônaco a 30 minutos de ônibus ou 20 minutos de trem.

O tipo de transporte ideal para cada um desses destinos, considerando preço e logística, eu vou especificar nos posts relacionados a cada um deles, logo mais adiante.

Em resumo, meu roteiro de cinco dias pela Côte d’Azur, fazendo bate e voltas desde Nice, ficou assim:

1º dia: Nice
2º dia: Nice e Saint Paul de Vence
3º dia: Antibes e cannes
4º dia: St. Tropez
5º dia: Mônaco com parada em Eze

Leia mais sobre a Côte d’Azur

Saint-Paul de Vence: a Côte d’Azur além dos balneários

Côte d’Azur: Cannes e Antibes em um dia

Roteiro de um dia em Saint-Tropez

De Nice a Mônaco, com parada em Eze

Gastos

Agora vem a pergunta que não quer calar: quanto você gastou nessa estada de cinco dias em Nice? Bem, a estada me custou uma média de 84 euros por dia incluindo a hospedagem com café da manhã, os passeios em Nice e nas demais cidades do roteiro, assim como com alimentação.

O único desembolso que não está contabilizado nessa conta é barco de ida e volta a St. Tropez, pelo qual eu paguei aproximadamente 75 euros e que eu havia comprado ainda no Brasil pela internet. No entanto, as despesas nessa cidade estão incluídas na média diária que citei acima.

E se você gostou desse post, compartilhe em suas redes sociais para que mais gente se inspire em viajar. Não deixe também de assinar a Newsletter para saber das novidades do blog.

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *